A busca pela independência financeira

Viver de Renda

 

Quem nunca sonhou em viver de renda? Ter tempo livre para praticar esportes, passear com os filhos, caminhar na praia no meio da semana, espreguiçar na cama até tarde em um dia de chuva, não ter hora para voltar pra casa no meio da semana. Parece a vida dos sonhos e de fato deve ser.

 

A boa notícia é que através de um planejamento financeiro adequado é possível viver com qualidade e acumular um montante de capital que forneça através do pagamento de juros, uma renda passiva que supra os gastos do indivíduo ou da família, sem depender exclusivamente do trabalho ou do INSS. Mas qual o valor que precisa ser acumulado para viver de juros?

 

Calculando valores

 

Você precisará de um montante, que investido a uma taxa de juros, gere após descontar todos os custos, impostos e inflação, a renda necessária para o padrão de vida desejado. Essa é a taxa de juros real.

 

Então, o primeiro desafio é identificar o padrão desejado e a taxa de juros real. É preciso ter o cuidado de perceber que as necessidades de renda mudam muito ao longo da vida. Gastos com educação dos filhos vão acabar. Custos com plano de saúde tendem a aumentar. O financiamento do imóvel vai terminar. Vamos querer viajar…

 

Mas, apenas para exemplificar vamos considerar que:

 

– Você precisa de R$15 mil reais por mês para cobrir as suas despesas, ou R$180 mil por ano.

– Sua carteira de investimentos rende bruto 14% ao ano. (A Selic é uma taxa de juros de referência, mas vale lembrar que uma boa carteira de investimentos pode render um pouco mais, atualmente).

– Imposto de renda calculado pela tabela regressiva. Onde o menor valor para investimentos aplicados por mais de 720 dias é 15%.

– E, uma inflação de 7% ao ano. (O IPCA é o índice de inflação oficial no Brasil)

Teríamos então:

14% ao ano (Rentabilidade Bruta)

– 15% de impostos

= 11,9% ao ano (Rentabildiade Líquida) >> 16% x (1-15%)

– 7% ao ano de inflação

= 4,58% ao ano (Taxa de Juros Real) >> (1 + Juros Nominais) / (1 + Inflação) – 1

 

A taxa real de juros de seus investimentos seria então de 4,58% ao ano. Se você precisa de 180 mil reais por ano para viver, o montante total necessário seria de R$3.930.612,52. (180.000 / 4,58%).

 

Em busca do equilíbrio

 

Quando pensamos no montante total do investimento, o valor pode parecer desanimador.

 

O exemplo acima representa o cenário ideal, onde você poderia viver usufruindo apenas dos juros reais, protegido da inflação, por toda a sua vida, deixando ainda para os herdeiros todo o valor acumulado.

 

Porém, você não precisa criar um plano que supra necessariamente todo o gasto, e eternamente. Outros cenários, que consideram uma expetativa de vida, exigem menos capital para o mesmo padrão de vida.

 

Ou imagine você podendo escolher um trabalho que pague menos mas que lhe dê mais prazer. Acumulando metade do valor ideal, metade do padrão estaria garantido e isso abriria as portas para você ter mais liberdade. E com mais liberdade talvez você até descubra maneiras de ganhar melhor.

 

Buscar a independência financeira, total ou parcial, é certamente uma forma de abrir a porta para a realização de sonhos e para uma vida com mais qualidade. Pense sobre isso.

Compartilhe:


Pedro Orlandi

Por

Postado em